Boas Práticas – Pontes de Amor 02

porEquipe Angaad

Boas Práticas – Pontes de Amor 02

Tema: Atividades com crianças e jovens em situação de acolhimento: projetos em datas comemorativas, inclusão em atividades extra acolhimento, outros projetos dentro das instituições.

GAA proponente
Pontes de Amor

Mês e ano que iniciou a realização da prática
Setembro de 2017

Resumo da prática (em até 3000 caracteres)
De acordo com a Unicef (2015), em 2014 e 2015 houve um aumento de 14% na quantidade de adolescentes com idade de 14 a 16 anos que vivenciaram conflitos domésticos e se envolveram com drogas, crimes ou prostituição.

Trilhas para a Autonomia é um projeto criado conforme orientação do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), nos termos do Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, para dar atenção especial aos adolescentes maiores de 14 anos cujas possibilidades de reintegração à família de origem foram esgotadas e cujas possibilidades de colocação em família foram reduzidas por seu perfil. O projeto tem como objetivo proporcionar ao público supracitado mecanismos para a construção de uma vida autônoma. Bem como: Oferecer orientação profissional e pessoal; Realizar acompanhamento terapêutico sistemático dos adolescentes para tratar perdas, lutos e questões relativas à percepção de si e de sua história, preparando-os para ingressar no mundo “fora dos muros” da instituição de acolhimento, e para orientação profissional, preparando-os para o mercado de trabalho; Promover inclusão digital; Fomentar reflexões sobre cidadania, qualidade de vida, relacionamentos e desenvolvimento pessoal; Promover convivência comunitária; Fomentar relacionamentos interpessoais entre os adolescentes, favorecendo a construção de melhor percepção quanto a sua identidade, valor e propósito, ampliando suas perspectivas de futuro; Oferecer capacitações e oportunidades para que o adolescente alcance sucesso em sua carreira como profissional técnico, de nível superior ou como empreendedor; Favorecer o empreendedorismo por meio de capacitações, mentoria e parcerias.

Trata-se de uma oportunidade para desenvolver o senso de identidade, valor e propósito em cada um dos adolescentes inseridos no projeto, bem como de minimizar a evasão das instituições de acolhimento, reduzir a violência, aumentar a autoestima, oferecer qualificação profissional e facilitar a inserção no mercado de trabalho.

Aplicando os conceitos da teoria dos sistemas, psicologia positiva, coaching, empreendedorismo e outros, serão realizadas uma vez por semana, pelo período de dois anos atividades de coaching, orientação pessoal e profissional, programas de formação e acompanhamento terapêutico com um grupo de no máximo quinze adolescentes maiores de 14 anos institucionalizados em Uberlândia-MG. Os encontros terão duração de 3 horas e vinte minutos, divididos em dois turnos de uma hora e meia cada com intervalo de vinte minutos. No primeiro semestre, primeiro turno será de orientação pessoal e coaching; e o segundo, de orientação profissional e habilidades gerais para inserção no mercado de trabalho (entrevista, comportamento no local de trabalho, problemas cotidianos, etc.). A partir do segundo semestre os participantes serão encaminhados, conforme sua área de interesse para o módulo empreendedorismo, podendo escolher as seguintes opções: cursos superiores; cursos técnicos ou cursos profissionalizantes.

Informar se foi compartilhada com outro GAA
Sim

VOTE NESTA BOA PRÁTICA

Pontes 02 - Boa Prática

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Trilhas-para-autonomia_projeto_09.12.16-2