Categoria Adoção tardia

porAssessoria de Comunicação ANGAAD

Assista e se emocione com o Curta Metragem “Teu Abraço, Esperança: Um Fragmento da Adoção Tardia no Brasil”

Assista e se emocione com o Curta Metragem “Teu Abraço, Esperança: Um Fragmento da Adoção Tardia no Brasil”

No Brasil, há milhares de crianças e adolescentes que vivem em abrigos privados do seu direito de viver em família. O Curta Metragem “Teu Abraço, Esperança: Um Fragmento da Adoção Tardia no Brasil”, busca contar a história de Willams que foi adotado aos 18 anos por uma família que reside em Belo Horizonte, depois de assistir o vídeo do Projeto Adote um Pequeno Torcedor, do Esporte Clube/ Recife-PE.

Willians conta como é perder a mãe aos três anos de idade, vida nas ruas de Recife, a solidão dos abrigos, ser rejeitado pela tia. E principalmente demonstra o que é ser persistente, ter fé e esperança. Na certeza de encontrar sua verdadeira família.

O termo adoção tardia é utilizado para crianças com mais de três anos. Ele é baseado no desenvolvimento infantil, pois a partir desta idade a criança já desenvolveu autonomia parcial e não é mais considerada um bebê. Segundo dados do Conselho Nacional de Adoção (CNA), em 2017 no Brasil 83,6% das crianças e adolescentes aptas a adoção têm mais de 3 anos.

  • Direção: Raquel Alvarez
  • Produção e som direto: Diogo Almeida
  • Roteiro e montagem: Raquel Alvarez
  • Apoio de produção: Ana Flávia Coelho Lopes
  • Vice-Presidente do GADA (Grupo de Apoio à Adoção, Convivência Familiar e Comunitária) Vanici Cristina de Oliveira Veronesi
  • Diretora-presidente do GAABH (Grupo de Apoio à Adoção de Belo Horizonte)
  • Trilhas: Big Screen/ Nevada City/ Golden Days /Podington_Bear
porAssessoria de Comunicação ANGAAD

A TV Senado exibe uma série de cinco reportagens sobre a adoção de crianças e adolescentes no Brasil

Realidade da adoção no Brasil pede paciência

 

“A TV Senado exibe a partir de hoje uma série de cinco reportagens sobre a adoção de crianças e adolescentes no Brasil. Entre a vontade de ser pai e o desejo de ser filho, existe um processo legal que está funcionando com novas regras desde o fim do ano passado.”

porAssessoria de Comunicação ANGAAD

NÚMERO DE RECÉM-NASCIDOS ENTREGUES A ADOÇÃO MAIS QUE DOBROU EM CASCAVEL

No ano passado nove mulheres decidiram, logo após o parto, entregar seus filhos para adoção. O número refere-se somente à comarca de Cascavel e é bem maior que o registrado em anos anteriores: em 2015 foram três casos e em 2016 quatro casos.

Este tipo de atitude é permitida pela legislação brasileira e o desejo da mãe ou dos pais pode ser manifestado antes ou logo depois do parto. O caso é acompanhado por equipe de saúde, psicologia e assistência social e o próprio juiz pode determinar o encaminhamento para atendimento especializado.

Após o nascimento há uma audiência com os pais e o caso é sigiloso. Caso haja desistência a família recebe acompanhamento por 180 dias.

Quando os pais de fato não querem o bebê, o Estado fica com a guarda provisória e providencia acolhimento para posterior adoção.

Adoção

Atualmente em Cascavel 66 crianças e adolescentes aguardam pela adoção e há 20 famílias habilitadas para adotar. No Paraná são 535 crianças e adolescentes aguardando por um lar definitivo e 3.654 pretendentes habilitados a adotar. Muitas vezes a adoção não se concretiza porque o perfil das crianças é diferente do buscado pelos que querem adotar.

Ação

Segundo o Tribunal de Justiça, em diversas comarcas do Estado existem programas que visam esclarecer às mães e gestantes sobre quais são os meios para quem deseja proceder com a entrega de bebê para adoção. O objetivo é também evitar que, em situação de desespero, o recém-nascido seja abandonado.

Fonte: https://cgn.inf.br/noticia/273393/naumero-de-recaem-nascidos-entregues-a-adoaaao-mais-que-dobrou-em-cascavel

porAssessoria de Comunicação ANGAAD

Em Pernambuco, campanha estimula adoção de crianças mais velhas e adolescentes

Lançada esta manhã uma Campanha de Adoção,  Adote – adotar é saber deixar alguém te amar, em Pernambuco que deixou a nos, Grupos de Apoio à Adoção e famílias adotivas pernambucanas, super emocionados.

É um verdadeiro marco histórico em nosso estado! Nunca antes tivemos um engajamento tão integral dos poderes instituídos em uma Campanha pela Adoção! Legislativo, Executivo e Judiciário uniram esforços para a campanha acontecer!

 

 

 

A cerimônia culminou com todos vestindo a camisa da Adoção da Campanha!

Os representantes de todos os GAAs de PE e eu, representando a nossa presidente, Sara Vargas, foram chamados a sentar no meio do plenário em frente à mesa das autoridades. Uma vez mais, a Angaad e os GAAs de PE foram publicamente homenageados e reconhecidos pelo seu trabalho exaustivo pro adoção – disse Suzana Sofia Moeller Schettini, Diretora de Relações Públicas da Angaad.

                

O governador do estado, presidente da assembleia legislativa, o presidente do TJPE, presidente do TRE e coordenador da infância e juventude de PE, autoridade máxima do MP e Defensoria Pública presentes ao evento.

Fonte e texto: arquivo pessoal de Suzana Sofia Moeller Schettini